domingo, 26 de agosto de 2012

Teste drive com o Cyclone TC (review)

Nesta semana fiquei na pilha de andra de verdade com o Cyclone TC para ver qual era a do carro. Já tinha dado umas voltas, mas nada que pudesse dizer como se comportava o veterano touring da Hot Bodies. Coloquei o equipamento padrão dos pegas do TartaraRC, motor com meons de 4000 KV (13.5) lipo e fui para o chão.


A minha primeira impressão sobre o carro foi boa. Ele não surpreende, mas é muito rápido e mais nervoso ainda. Comparado a modelos como X-Ray e Corally é mais complicado de guiar. Com este modelo o Hara ganhou um milhão e meio de títulos lá fora.

Usei o mesmo setup que faço no PHI para andar e ficou muito ruim no Cyclone. O TC ficou muito solto nas curvas e com um ajuste mais pensado nos links de suspensão o carro deve andar melhor. O caster faz muita diferença no TC, pelo menos mais que em outros modelos que já andei. Esta é a parte do setup que eu vi como vital para o TC andar bem.

Ele usa muitas peças do HPI Pro4 que é um modelo dos mais fortes de estrutura que eu já vi. Outra vantagem do modelo é a facilidade e os preços das peças. Muitas delas são usadas no modelo TCX que é a evolução do TC na hot Bodies.

O TC é muito bonito de olhar, com suas peças lilás, um dos mais bonitos que eu já vi. Ele não tem problema nenhum com baterias HARD CASE pois o deck superior tem altura suficiente para a colocação dos packs mais altos.

Em resumo neste primeira volta deu para ver um modelo arisco, que com o mínio de ajuste pode mudar completamente o seu comportamento. De 1 a 10 daria nota 8. Vale a pena comprar um Hot Bodies TC usado para competir ou apenas passear.